29 de agosto de 2010

Um quase diário - Livro digital

O prometido é devido. Aqui fica um quase diário. Para as abelhuscas o importante são as fotos, para os maiores as dicas que estão ao longo.
Espero que gostem.

Para ver em tamanho grande é só carregar em cim do livro.
Beijinhos

27 de agosto de 2010

No aproveitar é que está o ganho!


Olá abelhuscas e restantes amiguinhos,

Ainda de férias e por isso temos de aproveitar. Porque o fim de semana está aí e, possivelmente, os vossos maiores terão mais disponibilidade, aqui vos deixo uma sugestão. E que tal uma visita ao Museu da Electricidade para verem os carros que estiveram ao serviço dos vários Presidentes da República Portuguesa.
São cerca "de 15 veículos que estiveram ao serviço dos Presidentes da República. Dos hipomóveis aos Cadillac e Rolls Royce. Até 16 de Outubro na Praça do Carvão, no Museu da Electricidade, em Lisboa.
Textos, fotografias e filmes, e claro, os próprios veículos, objectos de culto e colecção, pertencentes aos Presidentes da República do nosso país. Através do automóvel, são percorridos 100 anos de República Portuguesa, numa exposição dividida em quatro núcleos: "Do Hipomóvel aos Pioneiros"; "O Estado Novo e as Viaturas de Aparato"; "A Democratização das Viaturas Presidenciais" e "O Presidente da República e as Forças de Segurança" (fonte: portaldosmiudos.com).
A Entrada é Gratuita e a exposição terá o seu fim em 17 de Outubro. Podem visitá-la todos os dias das 10h às 18h e Sábados até às 20h.

23 de agosto de 2010

Devagar, devagarinho


Olá abelhuscas e Olá a todos os outros amiguinhos e visitantes,

Cá estou eu nestes voos de experiência. Para já procuro inteirar-me das novidades, recolocar-me numa rotina a aproximar-se daquela que vai ser a seguida ao longo do ano. Tem de ser para depois não custar tanto os voos diários. A programação, a calendarização, o estudo de alternativas é sempre necessário a fim de conseguirmos alcançar os objectivos traçados. Isto aplica-se a todos os amiguinhos. As rotinas têm de começar a ser criadas através da leitura, da realização de pequenos exercícios e da revisão das matérias dos anos anteriores. Depois vai ser mais fácil.

Isto não significa uma dedicação exclusiva, nada disso. Um pouco do vosso dia deve começar a ser dedicado a esta adaptação. Vá, não custa e vai ser muito útil.

Até já.

22 de agosto de 2010

Praia e mar,ir e voltar!


Olá amiguinhos,
Vamos a aproveitar os dias de sol que vamos tendo. Uma ida à praia, uma corrida, muitas brincadeiras e a leitura de uma história são actividades que podemos fazer.
Não esquecer de respeitar o ambiente e colocar tudo nos respectivos recipientes. Respeitar também a sinalização para que o dia corra mesmo bem.
Eu estou quase a ir para a nossa colmeia, por enquanto ...vou à praia, mas acompanhada com a imagem de algumas das praias maravilhosas por onde passei.
Até já

19 de agosto de 2010

Recordar é viver!


Olá Abelhuscas e Olá a todos os outros amigos,

Já estou a trabalhar no diário da viagem. Um destes dias irá ficar disponível. Já sabem que mais abaixo encontram o calendário escolar deste ano lectivo que, brevemente irá ter início... ummm tantas caretas lolololo. Tem de ser, mais um ano, mais um percurso e este ano são FINALISTAS!

Vai ser um ano muito giro pois vão começar a ter saudades deste vosso primeiro ciclo. Recordar é viver e o importante é continuar sempre em frente, sempre a aprender, sempre a voar alto e a produzir bom mel.

Continuação de boas férias, de bom descanso, que nesta fase convém começar a ser activo: leituras, exercícios e todas as outras coisinhas que falámos.

Até já!

18 de agosto de 2010

Tirar o chapéu



Olá a todos.

Ainda não integralmente recuperada do cansaço e de outras maleitas relacionadas com as viagens, mas disponível para estar por aqui um pouquinho. Observando o calendário direi que já falta pouco para o reencontro lolololo. Por enquanto é aproveitar para brincar e ler. Espero que o tenham feito e que o continuem a fazer.

Estou a fazer um pequeno diário da viagem. Assim que estiver concluído irei colocá-lo na nossa biblioteca.
Para já tiro o chapéu ao acompanhamento que fizeram. Foi entusiasmante receber os vossos comentários.

Até já

16 de agosto de 2010

O mal do viajante!

Olá abelhuscas e restantes amiguinhos,
Cá estamos de volta ao nosso cantinho a recuperar de muitas e boas andanças, de muitos e importantes conhecimentos e... de alguns problemas que afectam os viajantes. O que vale é que, por norma, estes problemas só me atingem no regresso. Não é mau e por várias razões. Desde logo, e para mim das mais importantes lololololo, servem de contraditório aos excessos alimentares cometidas e que, também aqui por norma, se resolvem alojar nas ancas. Enfim, não existe mal que não tenha uma razão válida. Sei que muitas das minhas abelh@s e das colegas mestr@s me compreendem.
Ainda não tive tempo de vos contar tudo aquilo que vivenciei. Teremos tempo. Por agora, e como vos disse, cá vou estando sentada num determinado pedestal. Vamos esperar que esta "necessidade" me abandone lololo.
A todos um grande xi-coração muito apertadinho.
Obrigada pelas mensagens e sms que foram enviando.
@IMM

10 de agosto de 2010

O Magrebe

Olá Abelhuscas,
Tudo é diferente, desde os costumes, à forma como lidamos com o tempo ou com os problemas. Não é melhor nem é pior. É diferente.
Cavalos, camelos, motas, vendedores, veraneantes, observadores, tudo caminha na mesma praia, no mesmo espaço.
Líbia, Tunísia, Argélia, Marrocos são países a que nos acostumamos chamar de Magrebinos. Muito de comum, mas muito os separa. Desde logo o petróleo e o turismo. Uns não precisam do turismo porque detêm o ouro negro, os outros precisam do turismo.
É esta entrada de turistas que vai alterando, a pouco e pouco, algumas formas de ser e de estar. Nem melhores nem piores. Diferentes.
Até o deserto é diferente em cada um destes países. Para uns é deserto, para outros é fonte de receita que brota do número, cada vez maior, de turistas que buscam estas paragens.
Hoje deixo-vos com algumas imagens que penso poderem retratar um pouco do que vos disse.
Também fica uma foto com um dos trajes típicos de uma noiva Magrebina.
Existem outros, muitos, uns mais ricos, outros menos, mas todos eles muito bonitos.
O casamento é um acto importante nestas culturas e o seu ritual decorre por mais de 30 dias.
Espero que as vossas férias estejam a correr bem.
Da Abelh@ Mestr@ um enorme beijinho
Até já!

6 de agosto de 2010

O deserto, os desertos do mundo!

Olá Abelhuscas,

O deserto faz qualquer coisa dentro de nós, não passa indiferente, faz-nos pensar, reflectir, analisar.

Será que o deserto nos traz a solidão? Só esta parece ser tão vazia como um deserto, como todos os desertos. Será por isso que existem os oásis. Será que o deserto força uma necessidade de transcendência que suaviza essa solidão.

Acabou por ser aqui algumas das experiências mais ricas desta viagem. Foi também aqui que observamos com mais intensidade o ritual proposto pelo Alcorão. Foi também aqui que observamos as figuras escuras, deslizantes de seres humanos escondidos do mundo, que passa a correr, apesar de o tempo, por aqui, ser contado de forma lenta. Receamos que isso possa ser um arrastar de uma penitencia imposta pela interpretação de uma religião que, seguramente, não pede este tipo de segregação, este deserto de vida, sem qualquer oásis.

É o que parece e nem sempre o que parece é. Assim o desejamos.

Desculpem a escrita cheia de balanços, mas é da rapidez da viagem. Hoje teve de ser assim.

Beijinhos

2 de agosto de 2010

Espécie de Tuareg

Olá abelhuscas e restantes amiguinhos,

Ser Abelh@ Mestr@ e assumir o compromisso de alimentar este espaço retira algum espaço tempo, mas é por uma boa causa e quem voa por gosto não cansa. O que cansa mesmo é este calor abrasador do deserto que é uma espécie de cola tudo ao corpo. Não é difícil imaginar como a vida é dura por estas paragens.

O turismo acaba por ser uma forma de mitigar muitos dos problemas destas populações que são hospitaleiras e que recebem com gosto. A procura de saber como é nos países de onde chegam os visitantes é uma constante. A todos procuramos responder com aquilo que sabemos e com a verdade de um povo com oito séculos de história. Tem sido muito interessante esta viagem e todos estas experiências. A fuga dos circuitos tradicionais é a mais valia que procuramos, viagem após viagem, alcançar em todas estas experiências.


Cansaço é o que não falta, mas vontade de conhecer também não, por isso, e por enquanto, vamos andando, umas vezes lento, outras rápido e outras mesmo muitoooooooo rápido. Nada a que uma Abelh@ Mestr@ não esteja habituada. Digo eu, que gosto de dizer coisas.



Até já.